A Missão Salesiana

A história dos Salesianos no Brasil começou em 1883, quando um grupo de religiosos vindo da Itália, encaminhados por Dom Bosco, chegaram para colocar em prática seu carisma e pedagogia – baseados na “razão, na religião e no carinho” e atender as necessidades de uma população jovem e carente. Em princípio, se dedicaram ao ensino primário e das artes. Posteriormente, ao ensino secundário.

Naquela época, a Congregação Salesiana tinha fama de ser um símbolo da renovação na área de educação e era bem vista por dedicar-se aos jovens carentes, filhos de escravos beneficiados com a Lei do Ventre Livre e jovens imigrantes italianos, que vinham tentar a sorte no Brasil, independente do regime monarquista ser contra a Igreja e esta, por sua vez, passar por uma crise institucional.

Inicialmente, os Salesianos do Brasil gozaram da “proteção” de Dom Pedro II que, mesmo com restrições quanto ao desempenho das antigas ordens religiosas de origem medieval, não criou nenhuma dificuldade em relação à presença dos salesianos no Brasil, contando, também, com o apoio explícito da princesa Isabel.

A primeira obra dos Salesianos do Brasil foi à cidade de Niterói, Rio de Janeiro. Em 1892, chegaram ao Brasil as primeiras FMA – Filhas de Maria Auxiliadora, que estabeleceram a primeira obra em Guaratinguetá, São Paulo.

Foram criando escolas, paróquias, oratórios, obras assistenciais e sociais, escolas de nível infantil ao universitário, rádios comunitárias, editora, centros audiovisuais, além da obra missionária junto aos povos indígenas.

Assim como organizados em outros países, os Salesianos no Brasil são administrados em regiões, pelas inspetorias. Seis Inspetorias dos SDB – Salesianos de Dom Bosco e nove inspetorias das FMA – Filhas de Maria Auxiliadora.

A autoridade máxima da Congregação Salesiana é o Papa. No interior da Congregação, a autoridade suprema é exercida pelo Capítulo Geral, a assembléia representativa de todos os salesianos, que entre outras competências, elege o Reitor-Mor e aprova modificações nas Constituições. A autoridade superior dos salesianos é o Reitor-Mor, considerado o sucessor de Dom Bosco.

As inspetorias, também conhecida como províncias, possuem a missão de administrar as obras salesianas de um conjunto de comunidades locais. Nelas temos como autoridade máxima, o Inspetor. A ele cabe, juntamente com o Conselho Inspetorial articular e conduzir as ações e projetos salesianos, de cunho educacional, social e de evangelização da região.

As obras salesianas, escolas, paróquias, entidades assistenciais e demais ações dos salesianos são coordenadadas por um Diretor, que responde pela organização e administração da mesma. Incluindo estes e outros que surgiram em diversas partes do mundo, a Família Salesiana compreende hoje 21 grupos oficialmente reconhecidos com um total de 402.500 membros. Esses grupos vivem em comunhão recíproca, compartilham o mesmo espírito e continuam a missão iniciada por ele, com vocações especificamente distintas.

O carisma de Dom Bosco continua a inspirar pessoas de boa vontade. Existem atualmente outros 17 grupos que desejam ser membros da Família Salesiana. Atualmente, compreende 22 grupos reconhecidos oficialmente:

Sociedade Salesiana de São Francisco de Sales – Salesianos de Dom Bosco
Instituto Filhas de Maria Auxiliadora
Associação Salesianos Cooperadores
Ex-alunos e Ex-alunas de Dom Bosco
Ex-alunas e Ex-alunos das FMA
Voluntárias de Dom Bosco
Filhas dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria
Salesianas Oblatas do Sagrado Coração de Jesus
Apóstolas da Sagrada Família
Irmãs da Caridade de Miyazaki
Irmãs Missionárias de Maria Auxílio dos Cristãos
Filhas do Divino Salvador
Irmãs Servas do Coração Imaculado de Maria
Irmãs de Jesus Adolescente
Associação Damas Salesianas
Associação de Maria Auxiliadora
Irmãs Catequistas de Maria Imaculada Auxiliadora
Filhas da Realeza de Maria Imaculada
Voluntários com Dom Bosco
Testemunhas do Ressuscitado – 2000
Congregação de São Miguel Arcanjo
Congregação de Irmãs da Ressurreição
Articulação da Juventude Salesiana – AJS